29.4.11

XI PARTE de PRESA SEM CORAGEM

Fiquei o fim de semana inteiro sem conseguir dormir direito pensando em como vou ter que dizer não mais uma vez, o Dário é um garoto bonito, inteligente, popular e bem mais velho. Não queria estar passando por isso de novo, esse sentimento que nos confunde e nos perturba. Acho que nunca vou poder amar alguém, Dário poderia ser meu futuro namorado se não fosse minha família, mas não posso e não devo fazer isso agora, não tenho coragem de enfrentar todos lá em casa e dizer que estou gostando de alguém e muito menos de dizer que fui pedida em namoro. Isso não pode acontecer agora. Não comigo.


Foi numa quinta a noite onde estava acontecendo uma festa da faculdade, de alguma data comemorativa, me sentei um pouco na biblioteca para fazer uns exercícios e escolher uns livros de romances para ler no fim de semana. Sinto uma pessoa me tocar no ombro, quando olho era Vani me chamando para ir a festa que estava acontecendo na quadra da faculdade, não estava muito afim então fiquei na biblioteca até fechar. Depois fui para um bloco onde não havia ninguém e comecei a ler um dos livros. Agora já era tarde de mais para sair correndo, não tive saída, Dário veio e sentou do meu lado e disse:

- Estava querendo falar com você, já faz um bom tempo, mas quando te vejo você estar ocupada ou com a Vani.


- É verdade, estou muito ocupada, por isso não tenho tempo pra nada.


- Mas hoje vejo que não esta muito ocupada, então podemos conversar?


Naquele instante o medo de ser beijada ou de escutar mais uma vez aquela pergunta tomava conta de mim. Quando ele falou:


- Te acho super legal, adoro ser seu amigo e poder te ver todos os dias, adoro seu sorriso, seus olhos, adoro seu jeito, soube que você não pode namorar e que nem quer ninguém agora, mas eu não consigo tirar você da cabeça, queria saber se tenho alguma chance algum dia, posso esperar o tempo que for preciso para ouvir o seu sim. O que você me diz?


Falei para o Dário que iria pensar, mas ele não se conformou com minha resposta somente e me deu um beijo inesperado, não devia ter acontecido isso comigo de novo, após ter me beijado me disse que foi o seu melhor beijo. Fiquei pensando depois daquelas palavras tão bem pensadas, será que ele esta mesmo afim de me esperar o tempo que for preciso, ou só disse isso para que eu dissesse sim logo assim de primeira, o que eu não gostei foi dele ter me beijado sem que eu respondesse, sei que vou ficar mas confusa com esse beijo agora.

================================================

XI PARTE DE PRESA SEM CORAGEM

AUTORA: ALANNY C. S.

2 comentários:

  1. Muito bom Alanny estais de parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada!!
    Espero que goste de todas as histórias.
    Estou esperando sua visita aqui.


    ASS: Alanny C. S.

    ResponderExcluir